sobre o término e o retorno

em menos de três meses meu intercâmbio acaba. por mais que eu tente, acho difícil conseguir ficar aqui por mais tempo. difícil, sim, mas não impossível. (mas difícil, rs).

eu amo esse lugar de um jeito muito particular. ainda não entendo todas as placas, de tempos em tempos fico lendo as embalagens no supermercado com o celular ao lado, traduzindo as palavras desconhecidas. palavras essas que são muitas, bem como as pessoas daqui. a maioria ainda é desconhecida. mas de vez em quando é possível me ver passando pelos prédios da universidade e ouvir alguém gritar do outro lado do corredor ‘Nathaly! alles gut bei dir?’. e nessas horas a minha felicidade fica estampada no rosto, acho difícil de disfarçar.

não quero voltar. não agora. eu sinto que, por esse instante, não pertenço mais à vida que eu levo em SP, não pertenço às pessoas, não pertenço a nada daquilo. 

nevver:

Who’ll stop the rain?

(Source: oodmoriarty, via clairemonet)

estar longe de casa é pensar em quantas risadas, lágrimas e abraços você perdeu. a gente sobrevive sem arroz e feijão, sem fanta uva, sem paçoquinha. mas sem os amigos e a família… a coisa complica.

tem dia que a saudade bate forte.

ich bin nach Frankreich gereist :)) 
olheosmuros:

Comemora sem alardeAvenida Heitor Penteado, São Paulo, SP. Foto enviada por Cauê Maia. Intervenção por Coletivo Transverso.
nates in: ‘be welcome!’

(Source: thebeautymodel, via loveyourchaos)

selfie antes da interação social semanal pode sim ou não 
erinthepirate:

Cactus 
accionpoeticafotos:

Acción poética Manta